Futebol em Macaé

Independente Furioso

Milena Kroll e Hemine Kroll

A segunda semifinal da Série A do Campeonato Macaense Amador desse domingo reuniu duas equipes com histórias muito distintas.

De um lado, o Fúria, que já pagou um preço caro pela fúria da sua comunidade nas redes sociais. No seu período de Série B, apesar de possuir boas equipes, a equipe fazia a festa de todos os adversários em cada resultado negativo. Todos se uniam contra ele. Em 2018, a diretoria tomou uma decisão sensata: gerar harmonia e ganhar simpatia. A primeira atitude foi certeira. Contratou Lilija, um dos grandes técnicos do futebol amador macaense, auxiliado por Lucas Emerick, jovem talentoso que desponta como revelação. Os resultados não demoraram a aparecer.

Do outro lado, o campeoníssimo Independente. Presidido por Wandinho filho, é sempre ‘acusado’ de possuir enorme influência na Liga Macaense, presidida por seu pai. A verdade é que tradição e conhecimento sobre o futebol macaense proporcionam excelentes resultados. A camisa pesa na hora das decisões.

Final de jogo: Independente 2 x 1 Fúria. Independente na Final. Fim do sonho do técnico Lilija, que sonhava na conquista de um título que se tornaria histórico.

Antes do início da partida, uma certeza: O atacante Luis Flávio (Bocão) era, até então, o melhor jogador do campeonato. Seria difícil para o adversário pará-lo.

Após o início do jogo, uma surpresa: O time do Fúria exageradamente pilhado. O Independente jogando a honra. O Bocão foi provocado e reagiu negativamente. Foi expulso ainda no primeiro tempo.

O Independente abriu o placar com um gol de Vitnho. O Fúria empatou com um pênalti cobrado por Bruno Reis. Só que, em seguida, ficou com um jogador a menos. No segundo tempo, com superioridade numérica de jogadores, o Independente segurou o ímpeto do Fúria e, através da cobrança de pênalti do artilheiro Vitinho, alcançou o gol da vitória.

“Ouvimos muita coisa durante a semana. Não foi só a torcida. Os jogadores do Fúria também desdenharam. Disseram que tínhamos apenas 2% de chances de vitória no jogo de hoje. Nosso triunfo foi delicioso”, falou Vitinho, após o jogo. “O pênalti foi claro. Sofri a falta dentro da área e cobrei com perfeição. A arbitragem não influenciou em nada. O choro é livre”.

A verdade é que o Fúria ainda necessitava de mais uma lição. A super motivação aliada com a qualidade do plantel geraram uma vantagem definitiva para o adversário. Fica a sensação amarga de que não perderia com 11 jogadores em campo. O equilíbrio sempre será necessário. Para a próxima temporada, entrará como favorito ao título, mas terá que deixar a torcida para quem estiver fora das quatro linhas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

shop giay nuthoi trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautiful